terça-feira, 9 de novembro de 2010

ENTREVISTA INTERESSANTE

Lições de literatura 
 
Cinco escritoras de gerações diferentes recomendam leituras que consideram marcantes "do ponto de vista feminino" 
 
“Livro de mulher” ou “para mulher” costuma ser sinônimo de má literatura. Pensa-se logo no gênero água-com-açúcar, nos livros para chorar, desses disponíveis aos montes em bancas de jornal. Alguns títulos de qualidade, porém, bem escritos, profundos e inventivos, agradam mais às mulheres do que aos homens, marcam as leitoras. Prova de que esse tipo de livro existe foi a resposta que a reportagem de VEJA recebeu das cinco escritoras que procurou pedindo recomendações de obras marcantes, do ponto de vista feminino. Representativas de gerações diferentes da literatura brasileira, Lygia Fagundes Telles, Adélia Prado, Ivana Arruda Leite, Adriana Falcão e Leticia Wierzchowski apontaram suas preferências pessoais e justificaram suas escolhas. Apenas um livro recomendado pelas cinco autoras foi escrito por um homem.

LYGIA FAGUNDES TELLES
Tem 83 anos. Seu primeiro livro, Praia Viva, foi publicado em 1944. Tem obras editadas em nove países. É integrante da Academia Brasileira de Letras
• Livro recomendado: Dom Casmurro, de Machado de Assis
• Quando leu: “Esse livro me acompanhou em diversas fases da vida. Em cada leitura tive uma interpretação diferente. A primeira vez foi na juventude; a segunda, já casada; e a terceira, quando adaptei o livro para o cinema. Mudei de opinião sobre Capitu na maturidade.”
• Por que recomenda: “Acho Capitu uma personagem muito forte e interessante. O livro atinge as cavernas do ser humano. Capitu sintetiza as três definições da alma feminina: ela é indefinível, inacessível e incontrolável.”
• A história do livro: Romance psicológico sobre uma suposta traição, indecifrável para o leitor. O narrador Bentinho acredita que sua mulher, Capitu, o tenha traído. A obra tem duas partes: a primeira conta a adolescência de Bentinho, quando ele rompe a promessa feita à mãe de se tornar padre para casar-se com Capitu; e a segunda começa com a separação do casal.

ADRIANA FALCÃO
Tem 45 anos. É publicitária, roteirista e escritora. Escreveu A Máquina (Objetiva) e Mania de Explicação (Salamandra)
• Livro recomendado: Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres, de Clarice Lispector (Rocco).
• Quando leu: “Li com 20 anos e estava muito apaixonada. Como a personagem Lóri, achava que ia enlouquecer de tanto amor.”
• Por que recomenda: “Toda mulher passa por isso em algum momento da vida. Clarice nos ajuda a entender que essa dor de amor, que não passa, um dia passa.”
• A história do livro: Descreve a difícil viagem de Loreley para amar livremente, depois de várias experiências malsucedidas. Seu companheiro é Ulisses, um professor de filosofia que carrega no nome a alusão ao herói homérico que precisava ir cada vez mais longe para voltar para sua casa, na ilha de Ítaca.

ADÉLIA PRADO
Tem 70 anos e catorze livros publicados, entre prosa e poesia
• Livro recomendado: Mulheres que Correm com os Lobos, de Clarissa Pinkola Estés (Rocco).
• Quando leu: Quando foi traduzido no Brasil, nos anos 90.
• Por que recomenda: “Tenho convicção de que as transformações acontecem pela via do feminino (em nós e nos homens). De nós, espera-se que iniciemos o grande tsunami: perdão, compreensão, morte do ego, silêncio, tudo que é necessário para que o humano se realize em sua excelência. O livro trata da questão feminina pela via das fábulas, dos mitos, dos contos de fada. Ele anula nossas defesas racionais e nos toma pela força do simbólico até a alma.”
• A história do livro: A autora é psicanalista junguiana. Sob esse viés, ela interpreta contos infantis, com foco especial na figura do lobo, para revelar como a mulher teve suas características instintivas esmagadas pelos condicionamentos culturais predominantemente masculinos.

IVANA ARRUDA LEITE
Tem 52 anos. É socióloga e escritora. Publicou dois livros de contos e participou das antologias Geração 90: Os Transgressores e Contos de Escritoras Brasileiras (Martins Fontes)
• Livro recomendado: Antes do Baile Verde, de Lygia Fagundes Telles (Rocco).
• Quando leu: Na adolescência.
• Por que recomenda: “Eu me sentia uma estranha no mundo nessa época, e o livro foi um cúmplice do meu estranhamento. Aprendi que ser diferente não é impedimento para nada, mas trampolim.”
• A história do livro: O conto mais importante trata de uma jovem que se arruma para ir a um baile de Carnaval, colocando lantejoulas no saiote verde que cobre o biquíni, enquanto seu pai agoniza no quarto ao lado.

LETICIA WIERZCHOWSKI
Tem 33 anos e nove livros publicados. O mais conhecido deles é A Casa das Sete Mulheres (Editora Record)
• Livro recomendado: Rumo ao Farol, de Virginia Woolf (Editora Europa/América).
• Quando leu: A primeira vez ainda jovem e a segunda recentemente, depois que se casou e teve filho.
• Por que recomenda: “É um livro estruturado sobre os conflitos e questionamentos de uma mulher madura. O raciocínio da personagem sobre o que é o casamento e o que é ser mãe é impressionante. Traduz um pensamento muito feminino sobre o mundo.”
• A história do livro: A família Ramsay programa viagem de férias para uma ilha na Escócia. A narradora é uma dona-de-casa casada com um intelectual. A família e seus convidados conversam sobre coisas banais, como um passeio de barco, e sobre fatos traumáticos da I Guerra Mundial.
 
 Fonte:  http://www.portalpedagogico.com.br/main.jsp?lumPageId=480F8D7C230A5B0901231054129734A8&lumII=480F8D7C23EC470A0123F2865BFD2A56
Fonte: Veja Online - http://veja.abril.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário