sexta-feira, 19 de outubro de 2012

SELEÇÃO DE TUTORES - CEDERJ


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

MATERIAL DA OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA

Acesse no link abaixo um material maravilhoso para o professor apaixonado pela Língua Portuguesa. 

Coleção da Olimpíada
Nesta página você encontra a Coleção da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que visa a colaborar com o professor no ensino da leitura e da escrita para alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. A Coleção é formada por um Caderno do Professor e uma Coletânea de Textos para cada um dos quatro gêneros da Olimpíada: Poema, Memórias Literárias, Crônica e Artigo de Opinião. Na 3a edição da Olimpíada começaram a ser preparadas também atividades complementares à Coleção.
Cadernos do professor: propostas de ensino da escrita que articulam a produção de um determinado gênero textual a atividades de leitura, oralidade e conhecimentos linguísticos. As sequências didáticas, organizadas em forma de oficinas, atendem aos conteúdos curriculares previstos em cada série e possibilitam a incorporação das atividades ao planejamento do ano escolar.
Coletânea de textos: repertório de textos para que os alunos possam ler e conhecer exemplos dos gêneros trabalhados nas oficinas
Atividades complementares: novas sugestões de atividades que complementam os cadernos dos professores. As atividades complementares para o gênero artigo de opinião estão em outras seções: Caderno Virtual Pontos de Vista e Artigo de Opinião - Atividades Complementares.



 
2010cadernos4 gêneros em cartaz - Este fôlder ajuda o professor a aprofundar o gênero que  vai  ensinar e complementar  o trabalho proposto pelo Caderno  do Professor. Ele traz  recomendações específicas sobre cada gênero. Clique no título para fazer o download.


Fonte: http://escrevendo.cenpec.org.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=18&Itemid=8

Divulgação das inscrições para o vestibular IBMEC

09/10/2012 - 16:22h - Atualizado em 09/10/2012 - 16:57h

As inscrições para o vestibular do Ibmec foram prorrogadas até o dia 21 de outubro

Todos os alunos da rede estadual de ensino terão isenção na taxa de inscrição do vestibular, bastando terem participado de pelo menos dois terços dos Saerjinhos de 2012. Para fazer uso desse benefício, os alunos deverão preencher a ficha on line até a conclusão da inscrição e gerar o boleto de pagamento. No dia 20 de outubro será disponibilizado no site do IBMEC e da Seeduc a lista de alunos beneficiários da isenção da taxa de inscrição.

O Ibmec concederá aos alunos da rede estadual de ensino melhor classificados no vestibular uma bolsa de estudo integral em cada um dos cursos de graduação:

Curso
Local
Vagas
Administração
Centro
1
Administração
Barra da Tijuca
1
Ciências Contábeis
Centro
1
Ciências Econômicas
Centro
1
Ciências Econômicas
Barra da TIjuca
1
Direito Diurno
Centro
1
Direito Noturno
Centro
1
Engenharia Civil
Barra da Tijuca
1
Engenharia de Computação
Barra da Tijuca
1
Engenharia de Energia
Barra da Tijuca
1
Engenharia de Produção
Barra da Tijuca
1
Jornalismo
Barra da Tijuca
1
Propaganda e Marketing
Barra da Tijuca
1
Relações Internacionais
Centro
1
Relações Internacionais
Barra da Tijuca
1











 Entretanto, só serão oferecidas bolsas aos melhores alunos que preencherem os requisitos abaixo, cumulativamente:
1º) Forem aprovados na avaliação de ingresso (vestibular) da instituição;
2º) Tiverem participado de pelo menos dois terços dos Saerjinhos de 2012, sendo que:
• No caso de um primeiro empate, em que mais de um aluno passar para o mesmo curso, na mesma unidade de ensino, com a mesma média de avaliação de ingresso (vestibular), será concedida a bolsa aquele que obtiver o melhor desempenho nos simulados do Saerjinho, segundo o critério de média simples das duas maiores notas obtidas na disciplina de Língua Portuguesa. Persistindo o empate, será concedida a bolsa ao aluno mais velho.

O Ibmec está credenciado no ProUni – Programa Universidade Para Todos, que tem como finalidade a concessão de bolsas de estudos de 100% do valor para cursos de graduação em instituições de ensino superior privadas. A instituição também aceita o FIES e outros tipos e financiamento.

 

Fonte: SEEDUC

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

MATERIAIS PRODUZIDOS PELO CECIERJ EM FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Referências de orientação pedagógica:

Publicações da SEEDUC:

Materiais produzidos pela CECIERJ em projetos de formação continuada de professores a título de exemplo:

Livros de referência de conteúdos:

  • Biologia:
    Bruce Alberts, Alexander Johnson, Julian Lewis, Martin Raff, Keith Roberts, and Peter Walter. Molecular Biology of the Cell. New York: Garland Science; 2002.
    Carneiro, José; Junqueira, Luiz C. Biologia Celular e Molecular. Editora: Guanabara Koogan. 9a edição, 2012.
  • Filosofia:
    ARANHA, Maria Lúcia Arruda e Maria Helena Pires Martins. Filosofando – Introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 2006.
    CHAUÍ, Marilena. Filosofia – série brasil. São Paulo: Ática, 2005.
  • Geografia:
    SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.
    CASTRO, I.; GOMES, P. C. C.; CORRÊA, R. L. (orgs.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.
    SANTOS, E. S. Educação Geográfica de Jovens e Adultos Trabalhadores: concepções, políticas e propostas curriculares. Tese de Doutorado em Educação - FE/UFF, 2008. Acesso: http://www.uff.br/pos_educacao/joomla/images/stories/Teses/enio%20serra.pdf
  • História:
    FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2010.
  • Matemática
    LIMA, Elon Lages, CARVALHO, Paulo C. P., WAGNER, Eduardo, MORGADO, Augusto César. A Matemática do Ensino Médio. Volume 1.Coleção do Professor de Matemática - SBM. Rio de Janeiro - RJ, 2004.
    LIMA, Elon Lages, CARVALHO, Paulo C. P., WAGNER, Eduardo, MORGADO, Augusto César. A Matemática do Ensino Médio. Volume 2.Coleção do Professor de Matemática - SBM. Rio de Janeiro - RJ, 2004.
    LIMA, Elon Lages, CARVALHO, Paulo C. P., WAGNER, Eduardo, MORGADO, Augusto César. A Matemática do Ensino Médio. Volume 3.Coleção do Professor de Matemática - SBM. Rio de Janeiro - RJ, 2004.
    DANTE, LUIZ ROBERTO. (2008) Matemática: Contexto e Aplicações. 3a ed. 4 vols. São Paulo: Ática.
  • Química:
    MALDANER, O. A. A Formação Inicial e Continuada de Professores de Química. juí: Ed. Unijuí, 2003.
    Revista Química Nova na Escola.
    Nardi, Roberto; Almeida, Maria Jose P.m., Analogias , Leituras e Modelos no Ensino da Ciência - A Sala de Aula em Estudo Editora: Escrituras
    GOI, M. E. J. ; SANTOS, F. M. T. Resolução de Problemas e Atividades Experimentais no Ensino de Química. UFPR, 21 a 24 de julho de 2008. Curitiba, Pr., 2008.
    MORAIS, F. L. et. al., Atividades Experimentais no Ensino Médio Público. Revista de Pedagogia, Ano 3, n. 6, 2002.
  • Sociologia
    BRYM, Robert et al. Sociologia – sua bússola para um novo mundo, SP: Cengage Learning, 2008.
    DURKHEIM, Émile. As Regras do Método Sociológico. Martins Fontes, São Paulo: 2007.
    LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Sociologia Geral. Editora Atlas, São Paulo: 1999.
    OLIVEIRA, Luiz Fernandes. e COSTA, Ricardo César da Rocha. Sociologia: o conhecimento humano para jovens do ensino técnico-profissionalizante. Petropolis: Catedral das Letras, 2005.
Fonte: http://www.cederj.edu.br/extensao/index.php?option=com_content&view=frontpage&Itemid=110

sábado, 6 de outubro de 2012

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

EU QUERO MINHA BIBLIOTECA

Release da campanha

Ecofuturo e organizações parceiras lançam campanha pela universalização de bibliotecas em escolas

O objetivo neste ano é sensibilizar e instrumentalizar candidatos às eleições municipais para que incluam a efetividade da Lei em seu programa de governo

Você sabia que de acordo com a lei 12.244, instituída em maio de 2010, é obrigatório que todas as instituições de ensino do país, públicas e privadas, tenham bibliotecas instaladas até o ano de 2020? E que há recursos públicos para a educação que podem garantir a criação e a manutenção de bibliotecas em escolas públicas? É com o objetivo de tornar essas informações amplamente divulgadas aos candidatos às eleições municipais, em especial, e aos cidadãos brasileiros que será lançada a Campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA, pela Efetividade da lei 12.244/10, por meio de iniciativa do Ecofuturo para a formação de uma coalizão composta por organizações que desenvolvem trabalho de referência nas áreas de educação, leitura e biblioteca: Academia Brasileira de Letras, Conselho Federal de Biblioteconomia, Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, Instituto Ayrton Senna, Instituto C&A, Instituto de Co-Responsabilidade na Educação, Movimento Brasil Literário, Rede Marista de Solidariedade e Movimento Todos pela Educação.

Em 2010, quando a lei 12.244 foi sancionada, o movimento Todos pela Educação fez um estudo com base nos dados do Censo da Educação Básica 2008 e constatou o desafio: para atender à legislação dentro do prazo, teriam de ser implantadas 24 bibliotecas por dia, só no ensino fundamental, e 21 por dia no ensino básico. Hoje, dois anos após a promulgação da lei, não se sabe ao certo a dimensão real desse desafio. A proposta da Campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA é, portanto, a de sensibilizar e instrumentalizar candidatos às eleições municipais para que incluam a efetividade da Lei em seu programa de governo, além de chamar a atenção da sociedade sobre a Lei e incentivar que solicitem aos seus candidatos o cumprimento desse direito. Para dar conta deste objetivo, será lançado site contendo: informações sobre a Lei; a publicação “Como a gestão pública pode assegurar a criação e manutenção de bibliotecas em escolas” – apresentando as linhas de recursos disponíveis; Observatório Legislativo com todos os projetos de lei em tramitação e audiências públicas agendadas sobre o tema, informações sobre bibliotecas em escolas organizadas pelos parceiros da Campanha e um mapa que mostrará, em tempo real, a adesão da população e de candidatos. A convicção é de que através da cooperação entre os diversos setores, da democratização do acesso às legislações e recursos existentes e do controle social por parte da população, seja possível planejar caminhos que garantam a efetivação da lei e assegurar, em 2020, que as metas estabelecidas em 2010 sejam cumpridas.

A base desta iniciativa do Instituto Ecofuturo é a experiência de mais de 12 anos em advocacy para viabilizar a implantação de bibliotecas comunitárias Brasil adentro, que resultou na realização de oficinas de Gestão Pública e Bibliotecas, ministradas pelo pesquisador Fernando Burgos, da Fundação Getulio Vargas, para o staff das prefeituras, secretários de educação, vereadores, diretores de escola, professores, profissionais de biblioteca e líderes comunitários. O conteúdo, organizado e redigido pelo pesquisador, está editado em uma publicação, peça-chave da Campanha, onde há indicação sobre as linhas de recursos disponíveis, os caminhos a serem percorridos e as políticas públicas existentes para a perpetuidade da Lei como política pública. A publicação, juntamente com uma carta-convite de adesão à Campanha, será enviada a todos os partidos políticos, governadores, secretários de educação, parlamentares das Comissões de Educação da Câmara e do Senado e organizações não-governamentais que atuam nas áreas de educação e leitura, entre outros. E estará disponibilizada para download gratuito no site da campanha, juntamente com outros materiais, e ganhará escala de divulgação por meio dos parceiros da coalizão e de todos que aderirem a esta mobilização.
“A força desta Campanha é a coalizão formada por organizações que tradicionalmente atuam nas áreas de educação e leitura. Esta ação de cooperação essencial para dar conta de superar desafios e pôr de pé políticas públicas de leitura e de bibliotecas neste País, é coerente com sua proposta e lhe confere legitimidade: democratizar o acesso a informações concretas que possam orientar tanto o poder público quanto a sociedade civil sobre os meios existentes para garantir o estabelecimento e a manutenção das bibliotecas através, por exemplo, de iniciativas de repasse de verba, implantação de políticas públicas locais por meio da atuação de vereadores, entre outras. É essencial que em época de eleições estejamos munidos de conhecimentos acerca do direito de termos bibliotecas em escolas – públicas e privadas , dos recursos disponíveis e possíveis de serem criados em âmbito local, da responsabilidade de cada um e dos gestores públicos para assegurar sua efetividade”, diz Christine Castilho Fontelles, diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo.
A campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA conta, nesta primeira fase, com o patrocínio da Suzano Papel e Celulose e da Editora Trip.

 

Movimento por um Brasil Literário

Você sabia que de acordo com a lei 12.244, instituída em maio de 2010, é obrigatório que todas as instituições de ensino do país, públicas e privadas, tenham bibliotecas instaladas até o ano de 2020? E que há recursos públicos para a educação que podem garantir a criação e a manutenção de bibliotecas em escolas públicas?

 É com o objetivo de tornar essas informações amplamente divulgadas aos candidatos às eleições municipais, em especial, e aos cidadãos brasileiros que será lançada a Campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA, pela Efetividade da lei 12.244/10, por meio de uma coalizão composta por organizações que desenvolvem trabalho de referência nas áreas de educação, leitura e biblioteca: Movimento por Um Brasil Literário, Ecofuturo, Academia Brasileira de Letras, Conselho Federal de Biblioteconomia, Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, Instituto pela Co-Responsabilidade na Educação, e Todos pela Educação.

Em 2010, quando a lei 12.244 foi sancionada, o movimento Todos pela Educação fez um estudo com base nos dados do Censo da Educação Básica 2008 e constatou o desafio: para atender à legislação dentro do prazo, teriam de ser implantadas 24 bibliotecas por dia, só no ensino fundamental, e 21 por dia no ensino básico. Hoje, dois anos após a promulgação da lei, não se sabe ao certo a dimensão real desse desafio. A proposta da Campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA é, portanto, a de sensibilizar e instrumentalizar candidatos às eleições municipais para que incluam a efetividade da Lei em seu programa de governo, além de chamar a atenção da sociedade sobre a Lei e incentivar que solicitem aos seus candidatos o cumprimento desse direito. Para dar conta deste objetivo, será lançado site contendo: informações sobre a Lei; a publicação “Como a gestão pública pode assegurar a criação e manutenção de bibliotecas em escolas” – apresentando as linhas de recursos disponíveis; Observatório Legislativo com todos os projetos de lei em tramitação e audiências públicas agendadas sobre o tema, informações sobre bibliotecas em escolas organizadas pelos parceiros da Campanha e um mapa que mostrará, em tempo real, a adesão da população e de candidatos. A convicção é de que através da cooperação entre os diversos setores, da democratização do acesso às legislações e recursos existentes e do controle social por parte da população, seja possível planejar caminhos que garantam a efetivação da lei e assegurar, em 2020, que as metas estabelecidas em 2010 sejam cumpridas.

“A força desta Campanha é a coalizão formada por organizações que tradicionalmente atuam nas áreas de educação e leitura. Esta ação de cooperação essencial para dar conta de superar desafios e pôr de pé políticas públicas de leitura e de bibliotecas neste País, é coerente com sua proposta e lhe confere legitimidade: democratizar o acesso a informações concretas que possam orientar tanto o poder público quanto a sociedade civil sobre os meios existentes para garantir o estabelecimento e a manutenção das bibliotecas através, por exemplo, de iniciativas de repasse de verba, implantação de políticas públicas locais por meio da atuação de vereadores, entre outras.

É essencial que em época de eleições estejamos munidos de conhecimentos acerca do direito de termos bibliotecas em escolas – públicas e privadas , dos recursos disponíveis e possíveis de serem criados em âmbito local, da responsabilidade de cada um e dos gestores públicos para assegurar sua efetividade”, diz Christine Castilho Fontelles, diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo.

A campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA conta, nesta primeira fase, com o patrocínio da Suzano Papel e Celulose e da Editora Trip, além do apoio da Rede Globo de Televisão.

Como um dos membros da coalisão , o Movimento por um Brasil Literário, atuando há tres anos na constituição de uma sociedade de leitores de literatura, se compromete a promover a campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA, debatendo a efetividade da lei 12.244 e a importância da biblioteca nos diversos eventos literários em que participa, promovendo palestras e seminários- o que já vinha realizando, isoladamente, antes da formação da coalizão. Uma das mesas do MBL durante a FLIP de 2012 debateu a biblioteca escolar e contou com as presenças da bibliotecária colombiana Silvia Castrillón, referencia latino-americana em políticas públicas de implementação de bibliotecas, e da renomada escritora Nilma Lacerda, pesquisadora do tema, e professora da Universidade Federal Fluminense.

A adesão do Movimento por um Brasil Literário à campanha EU QUERO MINHA BIBLIOTECA é uma ação política que visa a concretização de um direito dos cidadãos brasileiros.“Consideramos a leitura literária como um dos aspectos fundantes da humanização que concorre para o exercício de um pensamento crítico, ágil e inventivo, elementos também importantes à construção dos permanentes desafios que a sociedade nos impõe. O acesso à leitura literária, portanto, é um direito de todos e deve ser um projeto político por sonhar um país mais justo, mais democrático, mais livre. A biblioteca é um espaço fundamental para a concretização desse direito”, diz Áurea Alencar, Secretária Executiva do Movimento por um Brasil Literário.

Acreditando na importância do papel da biblioteca escolar o Movimento por um Brasil Literário se compromete a lutar juntos aos demais membros da coalizão pela efetivação da Lei 12.244.

Fonte: Movimento por um Brasil Literário - 12 de Setembro de 2012


Materiais de Orientação

Clique nos links abaixo para acessar gratuitamente a publicação sobre como a gestão pública pode viabilizar bibliotecas, e outros materiais.


> Orientações sobre como acessar recursos públicos
> Graduação em Bibloteconomia
> Parâmetros para bibliotecas
> Programa mobilizador
 
Materiais de Divulgação


Fonte: http://www.euquerominhabiblioteca.org.br

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

"DIVERSIDADE, FORMAÇÃO E INCLUSÃO"

Professores da rede podem se inscrever em oficinas na Escola Seeduc até 12/10





02/10/12

A Secretaria de Estado de Educação preparou um presente especial em comemoração ao Dia do Professor. De 16 a 19 de outubro, será realizada a Semana da Educação. O tema discutido será “Diversidade, formação e inclusão”, e os inscritos poderão participar de oficinas com assuntos que envolvem o dia a dia da escola, ministradas por professores e profissionais diversos. Serão abordadas temáticas como: Novas Tecnologias, Cidadania e Proteção Escolar, Educação Física na Escola, entre outras.

Os interessados podem se inscrever, até o dia 12 de outubro, fazendo download da ficha de inscrição disponível no site da Seeduc, escolhendo a oficina e enviando o documento para o e-mail easeeduc@educacao.rj.gov.br. As vagas são limitadas.

O evento será realizado na Escola de Aperfeiçoamento dos Servidores de Educação do Estado do Rio de Janeiro, na Rua Amaral, 30 – Tijuca.

Para mais informações, entre em contato com a Superintendência Desenvolvimento de Pessoas, pelo telefone (21) 2332-1847.
 
Fonte: SEEDUC

CONCURSO CULTURAL 2013 "RECRIANDO VINICIUS E DRUMMOND:APRENDIZ EM CONSTRUÇÃO"