segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

OBRAS LITERÁRIAS X GRAMÁTICA X PRÁTICAS PEDAGÓGICAS



Acesse o link da revista Nova Escola abaixo e aproveite todas as ideias maravilhosas para melhorar sua prática pedagógica:

JOGO DE LITERATURA






Acesse o link abaixo e teste seus conhecimentos sobre obras literárias:

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

TRABALHO PARA O 1º BIMESTRE - TURMA 3


Um dos instrumentos de  avaliação deste primeiro bimestre será o desenvolvimento de um trabalho sobre a prevenção de drogas.


          Primeiro passo deste trabalho é assistir ao filme: Meu nome não é Johnny.


 

SINOPSE
Ele tinha tudo. Menos limite. João Guilherme Estrella era um típico jovem da classe média, que viveu intensamente sua juventude. Inteligente e simpático, era adorado pelos pais e popular entre os amigos. Com espírito aventureiro e boêmio, mergulhou em todas as loucuras permitidas. E também nas não permitidas. No início dos anos 90, se tornou o rei do tráfico de drogas da zona sul do Rio de Janeiro. Investigado pela polícia, foi preso e seu nome chegou às capas dos jornais. Em vez de festas, passou a freqüentar o banco dos réus. Sua história revela sonhos e dramas comuns à toda juventude. "Meu nome não é Johnny" é baseado em uma história real.

TÍTULO ORIGINAL
Meu Nome Não é Johnny

LANÇAMENTO
2008-01-04

DIREÇÃO
Mauro Lima

CO-PRODUÇÃO
Globo Filmes, Atitude Produções, Sony Pictures Home Entertainment, Teleimage, Apema

DISTRIBUIÇÃO
Downtown Filmes, Sony Pictures

ELENCO
Selton Mello
. . .  João Guilherme Estrella
Cleo Pires
. . .  Sofia
Júlia Lemmertz
. . .  Mãe
Cássia Kiss
. . .  Juíza
Eva Todor
. . .  D. Marly
André di Biasi
. . .  Alex
Ângelo Paes Leme
. . .  Julinho
Rafaela Mandelli
. . .  Laura
Giulio Lopes
. . .  Pai
Gillray Coutinho
. . .  Advogado
Luis Miranda
. . .  Alcides
Aramis Trindade
. . .  Taínha
Kiko Mascarenhas
. . .  Danilo
Flávio Bauraqui
. . .  Charles
Orã Figueiredo
. . .  Oswaldo
Hossen Minussi
. . .  Wanderley
Ivan de Almeida
. . .  Carcereiro
Flávio Pardal
. . .  Boneco
Neco Vila Lobos
. . .  Carlos
Charly Braun
. . .  Felipe
Felipe Martins
. . .  Fernando
Roney Villela
. . .  Hércules
Wendell Bendelack
. . .  Sininho
Rodrigo Amarante
. . .  Surfista

FICHA TÉCNICA
Produção Executiva: Mariza Leão
Produtora Delegada: Camila Medina
Figurino: Reka Koves
Direção de Arte: Claudio Amaral Peixoto
Direção Musical: Fabio Mondego
Montagem: Marcelo Moraes
Diretor de Fotografia: Uli Burtin
Produtora: Mariza Leão
Roteiro: Mauro Lima, Mariza Leão
Produtor Associado: Guel Arraes
http://globofilmes.globo.com/GloboFilmes/Site/0,,GFF186-5402,00-MEU+NOME+NAO+E+JOHNNY.html



Como sondagem inicial para proparação de um projeto de prevenção ao uso de drogas colocaremos em prática as atividades descritas no caderno de tarefas do módulo 2 do Curso de Prevenção ao Uso de Drogas (link abaixo).




















Após assistir ao filme, promover as seguintes perguntas, seja em forma de debate ou de questionário:

1) QUE OUTRO NOME VOCÊ DARIA AO FILME?
2) SOBRE O QUE TRATA O FILME?
3) COMO VOCÊ CLASSIFICARIA O FILME? SUSPENSE, TERROR, ROMANCE, DRAMA, COMÉDIA? POR QUÊ?
4) O FILME APRESENTA UMA CRÍTICA SOCIAL. QUAL?
5) QUE FINAL VOCÊ DARIA AO FILME?
6) QUAL É A HISTÓRIA DO FILME?
7) O FILME “MEU NOME NÃO É JOHNNY” É UM RELATO DE UM FATO REAL. COMO VOCÊ CLASSIFICARIA ESSE FILME FICÇÃO OU REALIDADE? EXPLIQUE.


8) O filme utiliza símbolos para completar a narrativa. Explique a importância da análise simbólica no nosso cotidiano. Depois, peça para os alunos fazerem uma leitura simbólica do filme e identificarem como os símbolos são utilizados para representar o passado, o contraditório e o efêmero. Cite como exemplo as cenas de flashbacks, a apresentação dos créditos da película que fazem alusão à cocaína e, por fim, o surgimento do título em vermelho, como indicação de perigo, de situação de risco, de ação.    

9) Há, no filme, uma diferença entre o linguajar utilizado pelos personagens na atualidade e na época em que João era mais jovem. Solicite aos alunos a produção de um glossário, ou mesmo de um pequeno dicionário, contrapondo gírias, expressões e até mesmo os ditados populares que eram comuns na época e os que são usados nos dias atuais.

10) O personagem João Guilherme Estrella é um jovem de classe média que se torna usuário e traficante de drogas. Divida a sala em dois grupos de pesquisa e trabalhe esses dois aspectos da vida de João.
O grupo será responsável por pesquisar o universo das drogas e dos dependentes: O que são drogas? Há diferenças entre drogas lícitas e ilícitas? Quais os efeitos das drogas e suas complicações para saúde? Como  os jovens começam a usar drogas? A estrutura familiar    pode ser um fator para o uso o não de drogas?

11) Após ser preso pela polícia, Johnny ficou detido no presídio federal aguardando julgamento. Ao ser condenado pela prática dos delitos de tráfico de entorpecentes e tráfico internacional, teve sua pena privativa de liberdade substituída pela internação em hospital de custódia pelo prazo mínimo de dois anos. Discuta com a sala esse momento da vida do personagem, abordando seus direitos e deveres, e avalie a compreensão dos alunos sobre o Estado Democrático de Direito (trabalhar o conceito antes do filme). Depois, peça a eles que escrevam uma dissertação argumentativa que justifique seu ponto de vista sobre uma das seguintes afirmações:
a) “É que eu nunca soube o que é dentro e o que é fora da Lei”. Johnny à Juíza no tribunal.
b) “João Guilherme é a prova viva de que viável recuperar as pessoas”. Juíza Marilena Soares.

12) (http://www.telabr.com.br) Em pequenos grupos, lancem-se a esse desafio vocês também. Se tivessem uma câmera à disposição, o que filmariam? Comecem descrevendo a idéia central e, em seguida, produzam, no formato de narrativa convencional, o enredo. Depois, substituam os trechos do narrador por indicações de imagens a serem registradas pela câmera. (obs. Os temas escolhidos devem fazer referência a histórias vividas por vocês).

    Os endereços relacionados abaixo poderão auxiliá-los na composição dos projetos. 


Roteiro


13) Monte um painel, fazendo uma exposição fotográfica na escola, para isso, os alunos se dividem em diferentes pontos da exposição com a finalidade de alertar as pessoas sobre essa realidade, fazendo uma campanha educativa. Para ajudar aos alunos a se preparar para a campanha, ofereça material de leitura e faça discussão e organização da campanha. Essa é uma forma das crianças aprenderem o conteúdo escolar em função da educação dos seus semelhantes, de participar da sua comunidade como cidadão ativo.  

AVALIAÇÃO

            Ao final do trimestre (fevereiro, março e abril) os alunos apresentarão os resultados de toda produção através de um fanzine criado por eles. Cada grupo produzirá um trabalho específico retratando a realidade local e criará uma campanha de preservação e conscientização a fim de trabalhar na comunidade escolar e do em torno da escola.

TRABALHO PARA O 1º BIMESTRE - TURMA 2

Um dos instrumentos de  avaliação deste primeiro bimestre será o desenvolvimento de um trabalho de conscientização e preservação ao ambiente referente a AGENDA 21 ESCOLAR: GILSON AMADO EM AÇÃO.
Para maiores informações sobre o curso acesse o link: http://lilianportelit.blogspot.com/2011/01/agenda-21-escolar-formando-elos-de.html
Como motivação para a implantação deste projeto os alunos assistiram ao filme
SANEAMENTO BÁSICO.








SINOPSE

           Em uma pequena vila de descendentes de colonos italianos na serra gaúcha, a construção de uma fossa para o tratamento do esgoto é uma emergência antiga e sempre ignorada pelas autoridades. Uma comissão resolve pleitear a obra através dos recursos da subprefeitura. No entanto, são informados de que não há verba para saneamento básico mas que sobra para a produção de um vídeo. O grupo resolve então fazer um vídeo sobre o saneamento básico. Mas o que ninguém esperava é que o grupo amador se envolveria tanto nessa produção que ganha até prêmio na cidade, e que a obra... bem, viraria ator coadjuvante.

TÍTULO ORIGINAL
Saneamento Básico, O Filme

LANÇAMENTO
2007-07-20

DIREÇÃO
Jorge Furtado

CO-PRODUÇÃO
Globo Filmes, Casa de Cinema de POA

DISTRIBUIÇÃO
Columbia Tristar

ELENCO
Fernanda Torres . . .  Marina
Wagner Moura . . .  Joaquim
Camila Pitanga . . .  Silene
Bruno Garcia . . .  Fabrício
Tonico Pereira . . .  Antônio
Janaina Kremer . . .  Marcela
Lázaro Ramos . . .  Zico
Paulo José . . .  Otaviano

FICHA TÉCNICA
Figurino: Rosângela Cortinhas
Som Direto: Rafael Rodrigues
Mixagem: José Luiz Sasso
Montagem: Giba Assis Brasil
Direção Musical: Leo Henkin
Produtor Associado: Guel Arraes
Roteiro: Jorge Furtado
Direção de Arte: Fiapo Barth
Produção Executiva: Nora Goulart, Luciana Tomasi
Diretor de Fotografia: Jacob Solitrenick, ABC

TRAILLER









    



TRABALHO 1º BIMESTRE – SANEAMENTO BÁSICO, O FILME


Após assistir ao filme, promover as seguintes perguntas, seja em forma de debate ou de questionário:

1) QUE OUTRO NOME VOCÊ DARIA AO FILME?

2) SOBRE O QUE TRATA O FILME?

3) COMO VOCÊ CLASSIFICARIA O FILME? SUSPENSE, TERROR, ROMANCE, DRAMA, COMÉDIA? POR QUÊ?

4) PODE-SE PERCEBER QUE NO FILME “SANEAMENTO BÁSICO, O FILME” HÁ UM OUTRO FILME INSERIDO. COMO VOCÊ CLASSIFICARIA ESSE FILME DENTRO DO FILME?

5) QUAL O NOME DO FILME CRIADO POR MARINA E JOAQUIM, PERSONAGENS DE FERNANDA TORRES E WAGNER MOURA? POR QUE ELES RESOLVERAM CRIAR UM FILME?

6) O FILME APRESENTA UMA CRÍTICA SOCIAL. QUAL?

7) QUE FINAL VOCÊ DARIA AO FILME?

8) COMO A PERSONAGEM MARINA, PROCURE O SIGNIFICADO DE “FICÇÃO” E “QUIMERA”. SERÁ QUE AS DEFINIÇÕES APRESENTADAS PELA PERSONAGEM SÃO INTEIRAMENTE CORRETAS? POR QUÊ?

9) QUAL É A HISTÓRIA DO FILME?

10) COMO PODEMOS RELACIONAR O CUIDADO QUE DEVEMOS TER COM OS RECURSOS HÍDRICOS AO FILME?

11) Faça uma leitura do texto “lixo o que podemos fazer diante desse problema?” http://www.planetaorganico.com.br/meiolixo1.htm e oriente a montagem de um projeto de observação, cada aluno observa na sua rua e no seu bairro o  lixo encontrado, anota no caderno e no dia seguinte se reuni com seus pares e analisa o que há de semelhante entre a observação de um e do outro, fazem o  registro escrito e faz a explanação verbal.  

12) (http://www.telabr.com.br) “Um dos principais obstáculos enfrentados pela comunidade de Linha Cristal era a criação de um roteiro. Como transformar uma idéia em uma seqüência narrativa em que uma câmera substitui um narrador? Como filmar as sensações? Os odores, os sabores etc.? Resolvido de um jeito ou de outro, as palavras foram problema e solução para aquelas personagens de Saneamento básico, o filme.”
Em pequenos grupos, lancem-se a esse desafio vocês também. Se tivessem uma câmera à disposição, o que filmariam? Comecem descrevendo a idéia central e, em seguida, produzam, no formato de narrativa convencional, o enredo. Depois, substituam os trechos do narrador por indicações de imagens a serem registradas pela câmera. (obs. Os temas escolhidos devem fazer referência ao ambiente do município de Japeri).
 Os endereços relacionados abaixo poderão auxiliá-los na composição dos projetos. 
 Saneamento Básico, o filme

Outros filmes

Roteiro



13) Monte um painel, fazendo uma exposição fotográfica na escola, para isso, os alunos se dividem em diferentes pontos da exposição com a finalidade de alertar as pessoas sobre essa realidade, fazendo uma campanha educativa. Para ajudar aos alunos a se preparar para a campanha, ofereça material de leitura e faça discussão e organização da campanha. Essa é uma forma das crianças aprenderem o conteúdo escolar em função da educação dos seus semelhantes, de participar da sua comunidade como cidadão ativo.  

AVALIAÇÃO

            Ao final do trimestre (fevereiro, março e abril) os alunos apresentarão os resultados de toda produção através de um fanzine criado por eles. Cada grupo produzirá um trabalho específico retratando a realidade local e criará uma campanha de preservação e conscientização a fim de trabalhar na comunidade escolar e do em torno da escola.

TRABALHO PARA O 1º BIMESTRE - TURMA 1

Um dos instrumentos de  avaliação deste primeiro bimestre será o desenvolvimento de um trabalho de pesquisa interdisciplinar (Português, História e Geografia).
Através da História retirada da Revista da Mônica nº 246 - Mauricio de Sousa Editora e Editora Globo faremos a motivação para a implantação do projeto "A INFLUÊNCIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DO JOVEM NO SÉCULO XXI".

Para maiores informações sobre o projeto acesse o link: http://lilianportelit.blogspot.com/2010/12/por-dentro-dos-meios.html












1) Após a leitura dos quadrinhos responda as questões abaixo:
a) Com a chegada da globalização no século XX a maneira de comunicação entre as pessoas vem se transformando. Comente sobre este assunto.
b) Na historinha da Tina o diálogo em sua casa é difícil, pois os interesses são diferentes. Como ocorre a comunicação em sua família, e com seus amigos?
c) Após algumas tentativas frustradas Tina surge com uma idéia? O que uniu a família? Como você acha que professores e alunos devem estabelecer a comunicação a fim de melhorar o interesse dos alunos pelo aprendizado?

2) Ler o fragmento do texto - Interferências dos meios de comunicação
no nosso conhecimento de José Manuel Moran, destinado a seu grupo e comentar a opinião de vocês sobre o tema lido. Disponível no link: http://www.eca.usp.br/prof/moran/interf.htm. Depois do tempo estipulado pela professora cada grupo deverá expor o seu comentário para a turma.


SINOPSE
Em Nordestina, cidadezinha perdida no sertão, a jovem Karina sonha ser atriz e partir para o mundo. Antes que seu amor lhe escape, Antônio, filho de Dona Nazaré, adianta-se numa cruzada kamikaze para trazer o mundo até Karina. Para isso, Antônio sai da cidade e anuncia, num programa de televisão, que irá cumprir uma sensacional aventura: fazer uma viagem ao futuro, partindo da praça de Nordestina. Se fracassar, garante ele, uma máquina da morte irá destrui-lo, ao vivo e via satélite, na frente de todos. Uma história em que os sonhos contradizem a realidade, as condições geográficas e políticas ameaçam conter a vida, e o amor desempenha o papel de elemento transformador. Baseada na peça homônima de João Falcão sucesso de crítica e público.

TÍTULO ORIGINAL
A Máquina

LANÇAMENTO
2006-03-24

DIREÇÃO
João Falcão

CO-PRODUÇÃO
Globo Filmes, Diler & Associados, Miravista

DISTRIBUIÇÃO
Buena Vista International

ELENCO
Paulo Autran
. . .  Antonio (velho)
Gustavo Falcão
. . .  Antonio
Mariana Ximenes
. . .  Karina
Wagner Moura
. . .  Homem da televisão
Wladimir Brichta
. . .  José Onório
Lázaro Ramos
. . .  Doido cético
Fabiana Karla
. . .  Dona Nazaré
Val Perré
. . .  Valdene (adulto)
Prazeres Barbosa
. . .  Prazeres
Osvaldo Mil
. . .  Seu Neco
Cristiane Ferreira
. . .  Maria da Graça
Fernanda Beling
. . .  Jéssica
Aramis Trindade
. . .  Doido da mochila
Edmilson Barros
. . .  Doido discípulo
Karina Falcão
. . .  Jennifer Jackson da ZWZ3
Fabrício Boliveira
. . .  Valdene (jovem)
Mariz
. . .  Stéfano
Felipe Koury
. . .  Homem do ventilador
Zéu Britto
. . .  Doido cantador

FICHA TÉCNICA
Figurino: Kika Lopes
Cenografia: Marcus Figueiroa
Produtor: Diler Trindade
Trilha Original: DJ Dolores, Robertinho de Recife, Chico Buarque de Hollanda
Som Direto: José Moreau Louzeiro
Edição de Som: Maria Muricy, Simone Petrillo, Cláudio Valdetaro
Mixagem: Rodrigo Noronha
Montagem: Natara Ney
Produção Executiva: Telmo Maia, Guel Arraes, Tatiana Maciel, Maria Clara Fernandes
Efeitos Especiais: Sérgio Schmid
Produção de Elenco: Cibele Santa Cruz
Direção de Arte: Marcos Pedroso
Direção de Produção: Tereza Gonzalez
Roteiro: João Falcão, Adriana Falcão
Produtor Delegado: Geraldo Silva de Carvalho
Diretor de Fotografia: Walter Carvalho, A.B.C.


3) Apresentação do filme A Máquina.Após assistir ao filme, promover as seguintes perguntas, seja em forma de debate ou de questionário:
a) QUE OUTRO NOME VOCÊ DARIA AO FILME?
b) SOBRE O QUE TRATA O FILME?
c) COMO VOCÊ CLASSIFICARIA O FILME? SUSPENSE, TERROR, ROMANCE, DRAMA, COMÉDIA? POR QUÊ?
d) O FILME APRESENTA UMA CRÍTICA SOCIAL. QUAL?
e) QUE FINAL VOCÊ DARIA AO FILME?
f) QUAL É A HISTÓRIA DO FILME?

4) Elaborar em sala de aula com o auxilio das professoras:
a)  questões referentes a pesquisa de opinião com relação aos meios de comunicação (rádio, TV, jornal e internet);
b)  Fazer a pesquisa de campo através de entrevistas em locais públicos e no ambiente escolar com o auxílio do celular para gravação;
c)  Tabular os dados da pesquisa com auxílio do computador no laboratório de informática;
d)  Confeccionar os gráficos com os resultados também através da utilização dos computadores disponíveis na escola;
e)  Dividir os alunos em grupos e levá-los a pesquisar nos órgãos públicos municipais, rádio local e arquivos de jornais do município, o desenvolvimento econômico e social e a história do município desde antes de sua emancipação.
f)  Com todos os dados em mãos estimular o debate para traçarmos um perfil de interesse dos nossos alunos.

5) (http://www.telabr.com.br) Baseados no filme “A Máquina” e divididos em  grupos, lancem-se a esse desafio vocês também. Se tivessem uma câmera à disposição, o que filmariam? Comecem descrevendo a idéia central e, em seguida, produzam, no formato de narrativa convencional, o enredo. Depois, substituam os trechos do narrador por indicações de imagens a serem registradas pela câmera. (obs. Os temas escolhidos devem fazer referência a histórias vividas por vocês).

    Os endereços relacionados abaixo poderão auxiliá-los na composição dos projetos. 




Roteiro


06) Cada grupo ficará responsável por elaborar um instrumento de veiculação dos resultados da pesquisa, sendo assim, os meios utilizados para isto serão: slide para apresentação de palestra no auditório para a comunidade escolar; texto para divulgação na rádio da escola; fanzine para distribuição na comunidade do em torno do colégio e documentário para registro das informações e para ser utilizado na reunião pedagógica a fim de auxiliar a elaboração do projeto pedagógico.


AVALIAÇÃO

            Ao final do trimestre (fevereiro, março e abril) os alunos apresentarão os resultados de toda produção através de um fanzine criado por eles. Cada grupo produzirá um trabalho específico retratando a realidade local e criará uma campanha de conscientização a fim de trabalhar na comunidade escolar.